[Padrões de limpeza em hotéis são os principais diferenciais competitivos]

Nos hotéis do mundo, o cenário que começou a se desenhar incluem check-in e check-out feitos por aplicativo, café da manhã sem bufês de self service, agora sendo servidos nas acomodações, robôs atuando no serviço de quarto fazendo entregas, além é claro, das camareiras com máscaras e trajes especiais.

As lideranças dos hotéis já entenderam que os procedimentos de segurança sanitária serão cada vez mais valorizados e devem se tornar um dos principais diferenciais competitivos no mundo pós-Covid-19.

As grandes redes de hotéis internacionais estão trabalhando nisso, reforçando os novos protocolos de higienização com medidas extras criadas para cada caso.  Preveem, por exemplo, o uso de produtos e rotinas de limpeza ainda mais eficientes, diminuição do contato entre hóspedes e funcionários, redução de circulação em áreas comuns, mudanças nos serviços de alimentação e planos emergenciais para o caso de suspeita de contaminação de hóspedes e colaboradores.

Passada a crise, todas as mudanças ainda serão percebidas e por muito tempo, especialmente as medidas mais simples, como a disponibilidade de álcool em gel em todos os ambientes, a limitação no número de pessoas nos elevadores e a redução do contato entre hóspedes e colaboradores por meio do uso de novas tecnologias.

Hoje, entre as providências mais urgentes está a necessidade de treinamento e a capacitação dos profissionais do setor, tanto para a saúde e segurança deles próprios como dos hóspedes e visitantes. Afinal, é um novo momento, um divisor de águas na história da hotelaria e do turismo mundial.

 

Normas Internacionais para hotéis

O Conselho Mundial de Viagens e Turismo (WTTC, na sigla em inglês) definiu uma série de protocolos para a indústria recuperar a confiança do viajante quando as fronteiras forem reabertas e, desta maneira, reativar o setor que há nove anos consecutivos cresce em ritmo mais forte do que a economia global.

De acordo com Glória Guevara Manso, presidente e CEO do WTTC, os protocolos refletem a nova imagem do Turismo. Buscam ainda a recuperação de empregos e o ressarcimento das enormes perdas que a indústria sofreu por conta da pandemia.

“É fundamental que haja coordenação e que sejam implementadas medidas globais para reconquistarmos a confiança do consumidor. Isso tudo precisa ser adotado tanto pelos governos como pelo setor privado”, ressalta.

 

Protocolos Gerais para hotéis e similares

Entre os principais protocolos do setor de hotelaria para a retomada pós-pandemia estão:

  • Uso obrigatório das máscaras por colaboradores, hóspedes e convidados
  • Cuidar da Limpeza correta e lavagem das mãos entre colaboradores, hóspedes e convidados
  • Desinfecção dos cartões e chaves dos quartos e incentivo ao pagamento eletrônico;
  • Desinfetantes para as mãos a base de álcool em todos os andares, nas entradas e saídas;- Desinfecção de de TV, interruptores de luz, termostatos, telefones fixos e maçanetas;- Limpeza e redução de capacidade máxima dos elevadores, assim como o incentivo ao uso de escadas, quando existe a ventilação adequada;
  • Sempre que possível, entregar o café da manhã no apartamento e em caso de existência dos bufês, garantir que os hóspedes não manipulem os alimentos.

 

Proteção dos profissionais dos hotéis

Para garantir segurança dos profissionais, as orientações são bastante claras. Confira:

  • Definir dois profissionais ou equipes diferentes para as funções de arrumação: um para a remoção da roupa e fazer camas e outro para realizar a limpeza. Deve haver um espaçamento de tempo entre as duas tarefas, preferencialmente de duas a três horas;
  • Equipar os profissionais encarregados de remover roupa e realizar a limpeza, com bata, luvas esterilizadas, óculos de proteção e uma máscara de proteção respiratória;
  • Os uniformes e os equipamentos de proteção individual (EPI) devem ser diferentes e de acordo com o tipo de intervenção ou tarefa e do risco de exposição;
  • Os uniformes dos profissionais sejam lavados em máquina, preferencialmente na lavandaria do hotel, à temperaturas elevadas.

 

Roupas de cama e limpeza das instalações dos hotéis

Ao remover a roupa de cama não se deve agitar. A recomendação é retirá-las sem a sacudir, enrolando-a no sentido de dentro para fora, fazendo um “embrulho”. Também se deve ter cuidado para não encostar a roupa ao corpo. Após transportar, as roupas devem ser colocadas diretamente na máquina de lavar.

Outra indicação é que a roupa de cama e as toalhas sejam lavadas à temperatura mais alta que puder suportar (dependendo da termo resistência). Incluir um ciclo de desinfeção pelo calor (pelo menos a 60ºC durante 30 minutos, ou entre 80-90ºC, com 10 minutos de contato do calor com a roupa).

 

Suspeita de hóspede contaminado

Durante a fase de epidemia ou perante um caso suspeito de COVID-19, as equipes encarregadas do tratamento de roupa de cama e da limpeza dos quartos ficam mais expostos ao risco de contaminação pelo ar. Por isso devem se proteger, em particular, com o uso de avental de plástico sobre o uniforme e luvas (preferencialmente descartáveis).

Após a troca da roupa da cama e as toalhas do quarto da pessoa suspeita ou doente com COVID-19, é recomendável esperar também um tempo (período de latência) para iniciar a limpeza dos quartos.

Desde que cumpram as recomendações necessárias, os profissionais não correm riscos. No entanto, o risco de transmissão pode ser real em caso de acidente ou se não forem cumpridas integralmente as medidas de proteção recomendadas. Daí a importância de todos os profissionais terem treinamento, capacitação e de estarem protegidos com os EPI adequados.

 

Desinfecção e manutenção dos ambientes do hotéis

Ao que se sabe até agora, o  coronavírus (SARS-CoV-2) provavelmente pode sobreviver durante horas em superfícies secas e até seis dias, em superfícies com umidade. Isso requer como medida preventiva,  alguns procedimentos de limpeza específicos.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda:

  • Equipar o pessoal encarregado da limpeza de pisos e superfícies com uma bata impermeável, ou avental de plástico sobre o uniforme, luvas de uso único resistentes a líquidos, máscara do tipo cirúrgica;
  • Limpar as superfícies de cima para baixo e no sentido das áreas mais limpas para as mais sujas
  • Devem ser limpos primeiro os móveis do mobiliário do quarto. Se houver cozinha, as louças devem ser levadas para lavagem na máquina a alta temperatura;
  • Na sequência, limpar e desinfectar a torneira, o lavatório e o ralo;
  • Não usar aspirador para limpeza de pisos, uma vez que colocam em movimento no ar as gotículas que onde o vírus pode estar contido;
  • Utilizar panos de limpeza de uso único, diferentes e exclusivos para a área do quarto e para o banheiro;
  • O balde e esfregão de limpeza (tipo mop) utilizado no banheiro devem ser diferentes do balde de limpeza e esfregões utilizados no quarto;
  • Para desinfecção de superfícies, a OMS aconselha o uso de água sanitária (solução de hipoclorito de sódio) numa concentração de pelo menos 5% de cloro livre, e álcool à 70º, para as superfícies metálicas ou outras, que não sejam compatíveis com a água sanitária, evitando a corrosão ou outros danos;
  • Existem no mercado vários produtos com ação virucida e bactericida e que podem ser utilizados, especialmente as pastilhas de cloro para diluir na água no momento da utilização e soluções detergentes com desinfectante na composição (efeito 2 em 1), tanto na versão spray, líquida ou lenços humedecidos, estes indicados principalmente para a limpeza rápida de superfícies de toque frequente.

 

Limpeza nos banheiros

  • As instalações sanitárias devem ser lavadas e desinfectadas com um produto de limpeza que contenha na sua composição, detergente e desinfetante, por ser de mais fácil e rápida aplicação e ação;
  • Os móveis e alguns equipamentos poderão ser desinfectados após a limpeza, com lenços umedecidos em desinfetante ou em álcool à 70º;
  • Vaso sanitário: aplicar o produto que tem a função de detergente e desinfetante em simultâneo, no interior e exterior do vaso. Deixar atuar o produto durante 10 minutos para que faça o efeito desejado, esfregar bem por dentro com o a escova apropriada, descarregar a água com a escova ainda dentro do vaso para que este também fique limpa. Em seguida colocar a escova para escorrer,lavar e desinfectar o suporte.
  • Com outro pano limpo de uso único, lavar a parte externa do vaso, começando pelo tampo (o menos sujo), seguindo-se a parte de cima do vaso e todas as partes exteriores com o mesmo detergente/desinfetante. Enxaguar depois preferencialmente com água quente e deixar secar.
  • Por fim, lavar o chão, abrir as janelas e deixar secar ao tempo.