[Para um novo ano sem dor de cabeça é importante um bom planejamento]

Bons gestores já recebem o novo ano sabendo como atravessá-lo e, na medida do possível, prevendo situações de risco e maneiras de melhorar os rendimentos

 

Em um ambiente econômico de inflação e instabilidade financeira, o desafio de administradores de condomínios, escritórios e pequenos negócios é realizar o planejamento para 2022 com certa tolerância à inadimplência e projeção de receita menos consolidada do que em anos anteriores. Por isso, economizar, rever práticas, atualizar demandas e negociar são algumas das palavras-chaves.

Gestores têm de organizar e atender diversas demandas, muitas das vezes confluindo as pessoais com as da empresa. Não é uma tarefa simples e, justamente por isso, os meses de dezembro e janeiro são estratégicos para um melhor ordenamento de metas e necessidades e o estabelecimento de um equilíbrio entre elas. Além disso, vale destacar que é necessária uma maior atenção ao mês de janeiro, já que ele concentra despesas de impostos, como IPVA e IPTU, e outros reajustes de fornecedores de produtos e serviços, como a terceirização.

Nesse sentido, comparar despesas e objetivos dos anos anteriores é importante, até mesmo para uma organização eficiente, já que é possível ter que adequar o orçamento a novas realidades. É importante ter, a partir dessa comparação, novas ideias com a consciência de que talvez nem todas possam ser aplicadas, mas a especificação de metas é algo valioso em termos de perspectiva, seja no campo pessoal ou profissional.

Uma boa previsão orçamentária já considera eventual inadimplência, bem como a solvibilidade de sua relação com fornecedores e prestadores de serviço. A análise criteriosa do histórico financeiro de toda e qualquer relação contínua ou recorrente deve nortear o planejamento.

PJ: Como planejar seu próximo ano

O pequeno empresário deve redobrar a atenção na administração de recursos pessoais e evitar a prática de utilizar verbas da empresa para saldar questões pessoais. Em um cenário tão peculiar como o da economia brasileira, e com 2022 sendo um ano eleitoral, oscilações no fluxo de caixa devem ser esperadas. Portanto, é ideal que qualquer previsão orçamentária da empresa tenha por bem a garantia de atendimento pleno dos proventos do próprio empresário e dos salários de seus funcionários.

Já um condomínio, além da previsão orçamentária, afinal, gerir um condomínio é atribuição equivalente à administração de uma empresa, deve se preocupar em como viabilizar a adimplência de devedores de 2021, de forma a possibilitar caixa.

É importante estar atento aos caminhos da pandemia e como isso vai afetar o uso das áreas comuns. O investimento em comunicação e em atividades para aumentar a renda do condomínio devem ser constantes. A atualização do regimento interno, bem como o foco no conforto e necessidade dos moradores também devem ser considerados para o planejamento para 2022.

Há passos que devem ser seguidos em qualquer tipo de segmento para um bom planejamento. Clovis Keller, CFO da RS Serviços, destaca 5 dicas importantes que Pessoas Jurídicas (PJ) devem levar em conta, confira:

 - É necessário ter controle rígido dos recebimentos para evitar índices de inadimplência inadministráveis;

- Organização com o fluxo de caixa é indispensável, a fim de evitar despesas financeiras desnecessárias;

- O acompanhamento de oportunidades de geração de novas receitas deve ser feito constantemente;

- Escolha de fornecedores com boa relação custo-benefício deve ser bem estudada, pois a falta de qualidade também gera prejuízos;

-O investimento em treinamento dos profissionais e novas tecnologias para otimizar processos são vitais para bons resultados.