[Reposição de mão de obra terceirizada: agilidade faz toda a diferença]

Seja pelas flutuações do mercado, ou pela necessidade repentina de reposição de mão de obra, as empresas de terceirização de serviços têm as melhores condições para fazer a operação rapidamente e sem desgastes. Saiba como.

Nada é tão problemático para uma empresa do que precisar de reposição de mão de obra rapidamente sem causar baixa temporária na produção, comprometer os serviços ou o atendimento ao cliente.

E é exatamente nesse ponto que a terceirização – desde que realizada em parceria com uma empresa séria e preparada – consegue resolver com agilidade as substituições por demissões, férias, afastamentos por doença ou algo do gênero.

Isso só acontece porque os profissionais disponibilizados por uma empresa terceirizada normalmente chegam às empresas contratantes treinados e preparados. Dessa forma, as reposições de mão de obra acontecem com muito mais segurança e rapidez, sem provocar grandes alterações na rotina ou na estrutura. E o melhor: não geram novos custos para quem contrata.

Mas não é só. Com a terceirização, todo o processo de disposição de mão de obra fica mais fácil e otimizado. Caso a contratante precise de mais funcionários para aumentar as equipes e cobrir extensão dos horários de trabalho, por exemplo, também pode solicitar à terceirizada, desde que esta condição esteja prevista no termo assinado por ambas.

Na eventualidade dos resultados esperados não serem alcançados com as equipes de trabalho atuais, a empresa contratante também pode solicitar a troca imediata dos profissionais e a inserção de novas equipes com muita rapidez.

 

Reserva técnica para reposição de mão de obra

Clovis Keller, CFO da RS Serviços explica que uma reposição de mão de obra rápida e satisfatória para o cliente acontece quando a empresa de terceirização contratada conta com a chamada “reserva técnica de pessoal”, ou seja, com profissionais selecionados previamente, treinados e capacitados para assumir a qualquer tempo, as funções a que se candidataram.

Dessa forma, segundo o diretor da RS, o processo de substituição não afeta a continuidade do trabalho como poderia acontecer se a empresa mantivesse um funcionário contratado diretamente e, nesse caso, gerar um desfalque importante por muito mais tempo.

“No auge da pandemia, por exemplo, empresas, condomínios e outras instituições precisaram de reforço de equipes para limpeza e desinfecção. Conta Clovis Keller. Graças à nossa reserva técnica pudemos disponibilizar pessoal qualificado prontamente. Tratamos de reforçar e adaptar os conteúdos dos treinamentos com informações das fontes confiáveis sobre o combate à disseminação do Covid 19 no Brasil e no exterior e assim pudemos atender com qualidade a uma demanda que continua a crescer.”

 

Avaliação psicológica

Para o executivo da RS Serviços, contar com um bom time de recrutadores é uma das principais garantias para oferecer mão de obra preparada e qualificada ao mercado e fazer as substituições corretamente, quando necessário.

“É imprescindível que os recrutadores conheçam profundamente o setor para o qual estão buscando mão de obra,” diz o diretor. “É preciso fazer uma seleção extremamente criteriosa dos profissionais que inclua não apenas a ficha criminal, mas um perfil psicológico mais abrangente, envolvendo a estabilidade emocional, valores, comportamento social, entre outros. E deixar claro para o colaborador a sua responsabilidade sobre a marca que vai representar, não importa a função ou cargo.”

 

Gestão

Toda empresa que opta pela terceirização está buscando melhorar seus resultados. Porém, para atingir esse objetivo, a gestão das equipes terceirizadas é absolutamente necessária e inclui, é claro, a agilidade na reposição da mão de obra.

Apesar da terceirização comprovadamente trazer ganhos para a produtividade e para o orçamento da empresa, também é verdade que na prática, os colaboradores terceirizados ainda desempenham um papel bem próximo aos dos celetistas.

“Por mais bem preparado e bem treinado que o colaborador esteja –  responsabilidade da empresa terceirizada é preciso um acompanhamento e um esforço de gestão tanto de quem contrata quanto de quem fornece a mão de obra, diz Clovis Keller.

“Dessa forma o trabalho do colaborador terceirizado terá mais qualidade e os objetivos da empresa são atingidos mais facilmente,” completa.

Para o diretor da RS, todo o trabalho deve ser guiado por clareza, ética e responsabilidade de ambos os lados. “Isso é fundamental tanto na reposição adequada dos colaboradores quanto para a melhoria dos resultados e da lucratividade como um todo.”

 

Qualidade e parceria

Na busca por melhores resultados, é essencial que as regras e normas do contrato facilitem o bom relacionamento entre contratante e contratada, permitindo um controle eficaz da execução e qualidade dos serviços prestados bem como o acesso aos relatórios de qualidade da atuação de cada profissional.

Via de regra, as empresas contratantes incluem um supervisor próprio para acompanhar e fiscalizar as atuações dos colaboradores terceirizados além de compartilhar as informações com os gerentes da empresa fornecedora da mão de obra terceirizada.

No caso da RS a supervisão e o acompanhamento são feitos também por profissionais da própria empresa, assim como os treinamentos constantes, que acontecem periodicamente no próprio local de trabalho dos colaboradores, sanando dúvidas e eventuais dificuldades bem de perto.