[Tecnologia: aliada da segurança em condomínios – confira 5 itens para maior proteção]

Tecnologia da segurança

A preocupação com a segurança em condomínios é uma constante, principalmente em um país com índice de violência alto. Empresas especializadas, síndicos e administradores de condomínios têm encontrado soluções eficazes com uma grande aliada: a tecnologia.

As inovações nesse campo têm provado serem fundamentais na vigília que se faz tão necessária. Até porque quando se fala em segurança em condomínios não se trata apenas de evitar o acesso de figuras mal-intencionadas, mas coibir confusões, estabelecer uma rotina funcional e de bem-estar para condôminos, bem como zelar por crianças em áreas comuns.

Para todo esse contexto, as estratégias de segurança em condomínios se tornaram muito mais efetivas e fluídas com a tecnologia. “Hoje, aumenta-se o nível de segurança e aumenta o conforto”, observa Renan Domingos, sócio-diretor de projetos da IESS by RS. Ele pontua que “o processo de consolidação” atualmente se dá muito mais rápido do que no passado e que atualmente há diversas opções de tecnologia para diferentes frentes.  

Para ajudar na escolha desses métodos. Listamos cinco tecnologias que auxiliam na segurança.

- Sistema analítico de imagens

Inteligência artificial não é mais ficção. Ela pode dinamizar e muito o controle diário e preventivo do condomínio e arredores por meio do sistema analítico de imagens. “Ele me permite receber um retorno de anormalidade em termos de comportamento das pessoas”, esclarece Renan. “Desde pessoas perambulando no perímetro a um sujeito deitado no hall de entrada do prédio”.  Para o especialista, dessa forma é possível aplicar ações mais assertivas.

- Sistema integrado de câmeras

Para o especialista, “quanto mais pontos de imagem, mais condições de sanar problemas e realizar controle. Principalmente de acesso”.  Renan reforça que “a distribuição de câmeras – até na piscina se possível – é básica” e permite o melhor direcionamento da equipe para eventuais ocorrências.

- Reconhecimento facial

Um aspecto que tem evoluído bastante, já que “hoje temos leitores capazes de fazer o reconhecimento de uma face com profundidade”, e que se mostra uma solução higiênica nesses tempos de pouco contato, pois evita que a pessoa precise tocar em aparelhos, é o reconhecimento facial.

- Duplo grau de verificação

Renan ressalta que ainda não é uma prática comum na maioria dos condomínios, mas deveria. A IESS by RS utiliza antenas que reconhecem tags que ficam nos vidros dso veículso e não podem ser movidas. Algo mais eficiente do que um controle que pode ser furtado e utilizado em outros meios de transporte e acessos. Os portões veiculares devem, depois dessa primeira fase com a antena, ter uma segunda fase com biometria ou reconhecimento facial. “É uma questão de custo, projeto e hábito”, salienta o especialista.

- Aplicativo

Este é outro advento que ainda está se consolidando de acordo com Renan. No entanto, provê uma verdadeira revolução na interação com a portaria na solução de ocorrências e até mesmo na rotina de reservas de recursos como academia, salão de festas, churrasqueira etc. O aplicativo otimiza a relação com a portaria em termos atualização cadastral (com validação do síndico), autorização de acesso com imagens (confirmação via aplicativo), ocorrências e notificações, assim como o acompanhamento do status dessas ocorrências. Além de aferir celeridade à resolução dos problemas, o aplicativo torna a comunidade muito mais funcional. Tudo devidamente customizado.

Vale ressaltar que para que todo e qualquer processo seja o mais eficaz possível é de extrema importância que os moradores participem e façam sua parte, sempre respeitando os procedimentos a fim de colaborar com a segurança dos espaços.